Com doze anos, Constantino ainda não tinha deitado corpo, mas lá  esperteza não lhe faltava; o pior é a escola, pois gostava mais de andar aos  peixes e aos pássaros. E acabou por apanhar uma raposa sem sequer ir a  caça. Enquanto guarda as vacas, o Constantino sonha é em ser  serralheiro de navios e fazer um barco que o leve até Lisboa. Descobre as aventuras deste rapaz que não desiste dos seus sonhos.

 

Ana Cláudia, 6º E