Maio 2010


Este livro fala-nos de um velho e de um rapaz. O rapaz, com os seus cinco anos, foi pela primeira vez à pesca com Santiago – é o nome do velho. Saiu por oitenta e quatro dias sem apanhar nenhum peixe, os seus pais disseram ao velho que ele estava declaradamente “salao”.

Santiago era velho, magro, seco e tinha rugas profundas na parte de trás do pescoço. Tinha umas manchas castanhas na cara que o benigno cancro da pele lhe provocou  e também tinha cicatrizes, mas nenhuma destas cicatrizes era recente. 

Tudo nele  era velho, menos os olhos que eram da cor do mar, alegres e não-vencidos. Mais à frente, o velho esta a falar com um peixe dizendo-lhe que o amava, mas que mais à noite  tinha de matá-lo.

Se queres saber mais lê este livro e verás que gostarás dele!

Depois diz alguma coisa…

Andreia, 6ºD

Matilde era uma menina genial, espectacular, surpreendente, só que os pais não se importavam.

Chamavam-lhe nomes como: trafulha, estúpida, ignorante, mentirosa, etc.  Eles eram tão tapados que, coitados, não reparavam na sua inteligência.

Tenta descobrir como é que ela é capaz de retirar deles o melhor que apesar de tudo, têm dentro de si.

Será que Matilde é especial, possui mesmo poderes especiais? Lê este livro e saberás!

Liliana, 6º D

Esta história é de um rapaz chamao Michael, que se muda para uma nova cidade por causa de ter uma maninha.
Na casa para onde ele vai viver, há uma garagem misteriosa. Michael quer lá entrar, mas os pais nao o deixam, até que Michael conhece uma menina chamada Mina e acabam por ficar amigos.
Os dois descobrem que dentro da garagem há uma coisa preciosa e decidem-na mudar para uma casa que foi deixada a Mina por um familiar.
Se queres saber que coisa é, e o que tem de tão precioso, lê o livro. Vais adorar!

Patrícia Raquel, 6º C

De seu nome Charlie, um rapaz cuja família é pobre, todos os dias quando vinha da escola a pé, passava por um altíssimo portão, onde na parte interior se situava uma fábrica de chocolates. Ele sempre desejou entrar lá, mas como?
Um dia, quando  chegara da escola e vira um anúncio sobre cinco crianças encontrarem um bilhete dourado na parte interior de um chocolate, ficou boquiaberto. Gostava de ser ele a encontrá-lo, mas se não tinha dinheiro, como iria ser?
Certa altura, o avô dele deu-lhe uma moeda que guardara consigo, para que Charlie fosse comprar um chocolate. A primeira coisa que ele fez foi ir comprá-lo, mas não teve lá muita sorte, pois não encontrou o bilhete dourado.
Já dias depois, quando estava a vir para casa com o olhar fixo no chão, viu uma moeda. Apanhou-a e logo foi comprar um chocolate, mas mais uma vez não lhe saíra nada. Como ainda lhe sobrava dinheiro, decidiu comprar mais um, mas será que um dos cinco bilhetes dourados estava no chocolate que ele comprou?
Iria ele fazer uma visita à fábrica de chocolates, como sempre quis?
NAVEGA NESTE LIVRO E SABOREIA-O! VAIS ADORAR!

Tânia, 6º D

Este é o último livro da trilogia de que também fazem parte “A Cidade dos Deuses Selvagens” e “O Reino do Dragão de Ouro” e aqui voltamos a encontrar os jovens Alex e Nádia, tendo também a companhia de Kobi, um elefante admirador de Nádia. A semana corre dentro da normalidade. Só quando chega o momento de abandonar o continente africano é que tudo se altera quando surge um padre espanhol que lhes pede ajuda para encontrar dois missionários de quem não tem notícias  há já  alguns meses. O grupo parte então rumo a Ngoubé, mas acaba por se instalar numa aldeia governada pelo rei Kosongo, pelo comandante Mbembelé e pelo bruxo Sombe, enriquecem com contrabando e à custa da escravização dos pigmeus e do seu próprio povo. Leiam, vão gostar imenso!!!
 

Ana Rita, 6ºC