Janeiro 2011


      Era uma vez uma donzela chamada Giselle que morava num reino mágico chamado Andalasia. Ela vivia numa casa da árvore numa floresta onde havia muitos animais amigos dela, mas o melhor amigo era o Pip, um esquilo pequeno mas com um coração leal e verdadeiro.

      Na outra parte do reino, vivia um belo príncipe chamado Edward. Ele era forte e cheio de charme. Para manter o reino em segurança, passava o dia a caçar trolls. O príncipe desejava apenas uma coisa na sua vida: encontrar o seu verdadeiro amor.

      Um dia enquanto Edward andava nas suas caçadas, começou a cantar uma canção sobre o beijo de amor verdadeiro. De repente ouviu-se uma bela voz como se estivesse a responder à sua canção. Saltando para o cavalo, Edward foi atrás da bela voz.

      Depressa descobriu quem era, quando Giselle lhe caiu nos braços por causa de um troll mau e desagradável. Edward ficou deslumbrado com Giselle e declarou que se iam casar na manhã seguinte.

            Todos os reinos estavam felizes excepto a madrasta de Edward, a Rainha Narissa.

            No dia do casamento, Narissa vestida de velhota, enganou Giselle e fê-la cair ao poço mágico.

            Queres saber onde é que ela foi parar?

             E Edward, o que fez no casamento?

            Lê este maravilhoso livro para saberes se uma verdadeira história de amor, daquelas dos contos de fadas, pode resistir às armadilhas do mundo de hoje!

Francisca Crespo 5ºE

Anúncios

      Charlie é um rapaz muito pobre. Um dia, o senhor Wonka lançou um desafio para todas as crianças: quem encontrasse cinco bilhetes dourados que estavam dentro das suas pastas de chocolate iria visitar a sua grande fábrica e receberia muitas e muitas guloseimas, tipo como pastilhas elásticas que podes estar com elas um ano na boca que o seu sabor não acaba.

      O nosso amigo Charlie sabia que não iria conseguir nenhum bilhete dourado, pois ele só recebia uma pasta por ano, era só no seu aniversário. Ele, na ida para a escola, passava sempre nessa fábrica de chocolate e  ficava espantado a olhar para ela porque era grande e os seus portões estavam sempre fechados. O nosso amigo sabia disso porque ele, da sua casa muito pobre, via-a sempre.

      Charlie, um dia, à ida para a escola, viu no meio da neve uma moeda de 50 cêntimos e, como estava perto de um quiosque, decidiu ir comprar uma pasta de chocolate. Mal a teve nas suas mãos ossudas e arrepiadas de tanto frio, abriu-a e não estava lá nada; com o troco comprou uma outra pasta de chocolate da mesma marca. Será que o nosso amigo Charlie vai encontrar o último bilhete dourado ou não? Irá ele visitar a grande fábrica de chocolate do senhor Wonka e receber muitas guloseimas como as pastilhas elásticas e chupa-chupas?

        Isso só tu podes descobrir se leres este livro como eu o li com muito agrado e entusiasmo! Ris-te à brava! Ele está à tua espera na nossa biblioteca!

Mariana Sofia,  6ºA

Era uma vez uma cidade que, de um momento para o outro, ficou sem livros. Reuniram-se bibliotecários, livreiros e leitores para descobrirem o que se passava.

Como não sabiam por onde começar, deram uma volta inteira à cidade. Passado algum tempo, só a leitora mais velha é que percebeu que a cidade tinha perdido o cheiro!

Sim, ouviram bem, o cheiro! ! !

Dantes, a cidade tinha um cheiro parecido ao duma cozinha e então o grupo de “inspectores” decidiu ir procurar a fábrica que fazia os livros. Quando a encontraram, entraram e perceberam que estavam numa cozinha!

Querem saber o que aconteceu a seguir?

Como se resolveu este problema nesta cidade especial?

Agora deixo ao critério de cada um ler este livro.

Acreditem que ele está na biblioteca da escola!

Bruna Silva 5ºE

Este livro começa com o Pedro, o Chico, o João e as famosas gémeas a caminho de um casamento onde iam ser figurantes de uma peça de teatro.

A aventura começou quando o Faial (cão de João) se meteu com as crias de um javali, do qual tiveram que começar a fugir porque o animal vinha atrás deles.

Mais tarde, já no local do casamento, descobriram de que se disfarçaram os ladrões para entrar naquela cerimónia e a melhor artimanha para os apanhar.

Queres descobrir como conseguiram salvar este dia feliz?

Faz como eu! Vai à nossa biblioteca e lê esta emocionante aventura.

Tiago Araújo Santos 5ºE

Este livro é formado por várias histórias e a que eu mais gostei foi “O bolo-rei”.

Essa história fala-nos de um bolo-rei que um dia levou com uma passa na coroa e ordenou ao bolo Inglês que tirasse a passa de cima dele e o bolo Inglês disse que não tinha percebido nada do que ele tinha dito.

O bolo-rei desistiu e ordenou ao bolo de Natas que tirasse a passa de cima da sua coroa.

Será que o bolo de Natas obedeceu às ordens do bolo-rei?

Se queres saber o que aconteceu com estes bolos, vai à biblioteca da nossa escola e lê este livro engraçado!

 Fábio Ferreira 5ºD

Era uma vez um rapaz chamado Bastião.

– Tenho entradas gratuitas para o expo! -exclamou o Bastião, a ofegar, para os seus dois amigos, sentados tranquilamente junto de uma árvore, no parque.

Quando chegaram à exposição, foram ver a sala das naves espaciais que lhes agradava muito. Hora e meia depois, resolveram-se passar para a sala ao lado, onde tiraram uma foto com o ALIEN. 

– Depois oferecemo-la ao Leonardo. – disse a Júlia.

Bastião e Júlia aproximaram-se, curiosos. O homem explicou-lhes que o satélite brevemente iria partir para o espaço.

Cada qual começou a escrever a sua mensagem. Júlia escreveu:”Paz e amor entre todos os seres do universo!”. Bastião, menos inspirado, escreveu:”Olá, amigos, tudo bem?” Júlia lembrou-se de escrever também uma mensagem em nome de Leonardo.

E Bastião escreveu por Leonardo a mensagem que dizia:”Seus bexigosos, ide fritar um ovo na vossa fritadeira intersideral ! Leonardo Lopes, Vila Graciosa, Portugal, Terra”.

Será que os extraterrestres existem mesmo ?

Será que eles receberam aquela mensagem ?

O que acontecerá a Leonardo ?

 Daniel André 5-ºD

O Ursinho Rabugento conta a história de um ursinho que era mesmo muito rabugento.

            O menino achava-o feio mas gostou dele na mesma e comprou-o.             

Quando o menino chegou a casa, instalou-o perto dos outros brinquedos, mas como ele era muito rabugento, tratava-os muito mal eles decidiram dá-lhe uma lição.

Enfiaram-no dentro de uma caixa e enviaram-no para o pólo norte.

Quando o menino reparou que o ursinho não estava na sua casa, pôs-se a procurá-lo por toda a parte e em todos os cantos da casa mas não o encontrou.

O menino ficou muito triste, escreveu uma carta ao Pai Natal a dizer que queria o seu ursinho de volta e enviou-a para o pólo norte.

Quando o ursinho lá chegou, viu o Pai Natal.

O ursinho ficou muito zangado ao ver que os outros peluches lhes fizeram aquilo e começou a tratar o pai natal muito mal.

O pai natal disse que ele não podia ser assim tão mau e decidiu dar-lhe banho, mas ele não queria e gritava:

– Eu não quero tomar banho, eu não quero!

O Pai Natal ficou muito desiludido por ver que ele era tão rabugento e decidiu que ele tinha de ir para a escola.

Se queres saberes mais sobre este livro vai à biblioteca onde o encontrarás!

 Andressa 5ºD

Página seguinte »