Este livro fala-nos de um rapaz chamado Dinis que, com os seus 18 anos, viveu e assistiu a episódios e cenas de pancadaria durante toda a sua jovem vida.

Ernesto Gomes, seu pai, um alcoólico que chegava todos, ou quase todos os dias a casa bêbedo, era o autor de todos os hematomas, nódoas e manchas que preenchiam o corpo de Angélica Gomes, sua mulher.

Angélica não era a sua única vítima, também Tó Bé, seu filho mais novo e Dinis, seu filho mais velho. Não se sabe bem o porquê, mas, em sua casa, a única pessoa que escapava às agressões era Filomena, a filha do meio.

Agora, dou-vos um excerto da obra:

Era quase meia noite e Ernesto Gomes ainda não regressara a casa. Temendo pelo que pudesse estar a suceder, Angélica foi para a sala esperar o marido. E se ele tivesse ido procurar o Dinis?, afligiu-se.

Era tardíssimo e o marido saíra de casa logo a seguir ao jantar! Aonde teria ido? Fazia tempo que já não saía de noite para ir beber, como acontecera anos a fio. O certo era que ele parecia estar a conseguir lutar contra a necessidade de beber, o que, no entanto, poderia ser sol de pouca dura. Na verdade, talvez aquilo se devesse apenas ao facto de ele não querer perder a lucidez enquanto decorresse o processo que o Dinis tinha movido contra ele.”

Lê este livro e descobrirás como Dinis consegue mudar toda esta triste realidade.

Liliana, 6º C