Outubro 2014


Matilde era uma menina muitíssimo inteligente. Mas os seus pais eram muito implicantes, obrigavam-na a ver televisão e negavam-lhe a leitura.

Enquanto a sua mãe ia jogar bingo e o seu pai ia para a garagem trabalhar nos carros, Matilde aproveitava para ir à biblioteca pública.

Surpreende a bibliotecária ao ler livros muito a avançados para a sua idade e começa a trazê-los para casa. Passado algum tempo, Matilde pede ao seu pai um novo livro, mas como ele não achava nada bem, destruiu o livro da biblioteca. Por causa deste acto do seu pai, ela tem de pagar o livro com a sua mesada. Então, para se vingar do seu terrível pai, pôs supercola no seu chapéu o que lhe veio a causar um grande embaraço!

Mais tarde, vai para a escola, onde encontra uma professora extraordinária (Sra. Honey) que percebe a sua inteligência e queria avançá-la de classe, mas a directora da escola (Sra.Trunchbull) rejeita.

Um dia, a Sra.Trunchbull vai dar aula à sua turma e uma amiga de Matilde coloca uma salamandra dentro da jarra da directora e a Sra. Trunchbull deita a culpa a Matilde. Ela fica furiosa e aí descobre que tem poderes mágicos – consegue deitar a jarra ao chão com os olhos.

 Lê este livro! Vais surpreender-te com a Matilde!

Diana

   Neste livro conta-se a história de um menino chamado Bruno que vivia em Berlim com os seus pais e irmã. Certo dia, teve de mudar de casa por causa do emprego do pai. Na nova casa, e como Bruno gostava de fazer explorações, decidiu ver até onde a vedação da casa dava e foi então que encontrou o seu amigo Shmuel.

   Durante cerca de um ano, os dois amigos tinham encontros diários e a amizade foi crescendo, embora os meninos de nove anos nunca brincassem; passavam o tempo a conversar e a descobrir as diferenças entre os seus dois mundos.

   Queres saber o que aconteceu quando Bruno entrou no mundo de Shmuel?

  É uma história impressionante e uma lição de vida.

Lê o livro e saberás.

 

Armando Pereira

   “Guardei as lágrimas no bolso” é uma história que nos fala de uma menina chamada Diana que vive com a avó porque a mãe morrera e o pai casara pela segunda vez. Este, desde então, nunca mais a visitou.

   Ela adora todas as divisões da casa, especialmente o sótão  onde  passa as tardes de chuva. Um dia, ela vai para lá e começa a coscuvilhar. Encontra um álbum de fotografias e decide vê-las.

   Aqui, surgem situações intrigantes, nomeadamente quando ela encontra uma fotografia misteriosa com um homem desconhecido e uma data muito estranha.

   Quem será esse homem? O que significará essa fotografia?

    Ler este livro é acompanhar Diana neste descobrir da sua história.

Maria João

    “Os heróis do 6º F” é uma história que nos fala sobre uma adolescente chamada Manuela que só vivia com a mãe, pois o seu pai já tinha falecido; ela morava numa aldeia a dezoito quilómetros da escola que se chamava Barroca. Era a única com a sua idade naquela aldeia, de resto eram só pessoas idosas e só em Agosto (que é o mês dos emigrantes) é que apareciam os filhos destes.

    Como todos sabemos, a Manuela era aluna da turma do 6ºF da qual não gostava de fazer parte, porque achava que a sua turma era só para os “burrinhos”, para os que viviam longe, para os que eram transferidos de outra escola para a dela e para os mal comportados.

  O João (que é o queridinho da professora), o Miguel, o Chancas, a Helena e tantos outros são alguns dos seus colegas de turma.

    Ficaram curiosos? Se quiserem conhecer mais sobre a história da Manuela leiam o livro, pois é bastante interessante e faz-nos pensar …

   Alice Martinho

   Este livro começa no último dia de aulas na escola primária, precisamente quando a professora elege os meninos que passavam para o ciclo e, felizmente, Jorge Ribeiro dos Santos conseguiu transitar de ano, mas ficou triste pelo seu colega de carteira chamado Armindo que já era maior do que a professora, e que era o capitão de equipa de futebol, o mais forte da escola e também o mais velho da turma, não ter tido essa sorte.

   O narrador, o Jorge, conta-nos parte da sua vida a partir desse dia tão importante.

   Fala-nos de Adrianinho, um homem em idade adiantada que quando Jorge era pequenino tinha aversão às suas enormes barbas brancas e cuja velhice o pusera em más condições de saúde. Adrianinho gostava muito de se ver rodeado de gente nova para contar as suas histórias sempre da mesma forma e preocupava-se muito com os estudos da personagem principal, perguntando-lhe se os ia terminar. Jorge respondia-lhe que não sabia pois antigamente poucos eram aqueles que estudavam.

   Certo dia, o Jorge é informado que têm que mudar de terra porque o seu pai ia trabalhar para esse local.

   O que vai mudar na vida do Jorge?

   Será que ele continuou a estudar?

Para saberes mais sobre esta história interessante, lê este livro que encontras na nossa biblioteca.

Gonçalo Antunes