Março 2015


Pai,

És silêncio quando não me compreendes,

És homem quando choras comigo,

És nuvem quando me levas ao meu mundo,

És mãe quando me aconchegas,

És sol quando me dás luz,

És olhar quando me dizes a verdade,

És deus quando apagas os meus medos,

És tesouro quando te ganho.

És tudo isto e muito mais,

És o meu PAI!

   A primeira  ideia que me ocorreu  quando li este título é que seria uma história de piratas. E assim foi. Um baú dera à costa e uma faroleira abriu-o e descobriu um livro. Em casa, sentada na sua poltrona, começa a admirar as letras quase gastas pelo tempo e contempla  as ilustrações. Para seu espanto, a primeira ganha vida! Um pirata que se apresenta e que se chama Billy  Bones. Este conta-lhe os cinco primeiros capítulos do livro, acompanhado de um bom copo de rum.

     E tudo começa porque Billy Bones tinha sido da tripulação de Flint. Este era um pirata temido e, segundo  rezava a história, ele teria um mapa de um tesouro. E sim, existia mesmo  porque este encontrava-se na posse de Billy Bones .

     Muitas peripécias se desenrolarão durante a história …  Para saberem o resto da aventura, terão de ler o livro!

Maria João

 

        Gostei de ler o livro da coleção “Os sete irmãos” cujo titulo é : “ Maria : Os segredos da irmã mais velha”, em que são autoras Margarida Fonseca Santos e Maria João Lopo de Carvalho.
É uma história de uma adolescente de 15 anos chamada Maria, que tem cinco irmãos: O Miguel, a Mónica, a Margarida, e os gémeos : o Manuel e a Mariana.
Maria frequenta a escola Martim Moniz e vive em Vale de Nabais. Em Janeiro entrou um rapaz novo para a turma, chamado João Pedro que vinha da Irlanda, e Maria no inicio ficou amiga dele, mas depois ficou fascinada por ele. O João Pedro era um rapaz tímido e discreto, mas a sua presença, vai marcar a vida da Maria.
Maria também anda no ballet da professora Verónica e tinha uma amiga chamada Clara, que apesar de ser extremamente magra sentia-se sempre gordíssima. Um dia a mãe de Clara foi avisar a professora que Clara estava internada. Maria ficou muito preocupada então resolveu telefonar a Clara e perguntar o que se passava, a mãe da Clara atendeu e explicou que Clara sofria de anorexia. Alguns dias depois Clara recomeçou as aulas de ballet e disse a Maria que ia curar-se e prometeu ajudá-la na luta contra a doença.

    A melhor amiga da Maria, para além de Clara, é a Joana, que vai viver momentos difíceis com a separação dos pais, mas acaba por compreender a situação e tudo se resolve.
Um dia, Maria foi com as suas irmãs, Mariana e Mónica, ao centro comercial, quando de repente viu o seu amigo João Pedro com Francisca, uma colega da escola, e ficou perturbada, pois pareciam amigos íntimos. A Maria não sabia explicar porquê mas sempre que falava com o João Pedro sentia um carinho especial por ele.
Maria era muito insegura, achando-se a rapariga mais feia do mundo, razão pela qual pensou que o João Pedro jamais se poderia interessar e apaixonar ela.

    O Amor não era o único problema da Maria, pois esta queria ter mais Liberdade como qualquer outra adolescente de 15 anos, queria sair à noite com as amigas, mas o Pai não deixava. A sua banda favorita ia atuar em Vale de Nabais e Maria pede ao pai para ir ao concerto. O pai inicialmente não deixa, mas Maria insiste e acaba por ir, mas com algumas condições impostas pelo pai que ela não consegue cumprir. Porém após conversar e explicar as suas razões, o pai acaba por compreender. Certo dia, João Pedro sossegou o coração inquieto da Maria, explicando-lhe que a Francisca o perseguia, mas que ela não fazia o seu género para namorada. E de quem realmente gostava era dela. Maria e João Pedro ficaram namorados.

    No entanto, esta situação não agrada a todos, principalmente ao Hugo, que gostava da Maria, e tudo fará para os separar. Hugo inventa que João Pedro era maluco, e que até falava com fantasmas existentes na quinta onde morava.

    Um dia, os pais de Maria avisam ao jantar que a família ia ter mais um irmão.

    Acreditará Maria nas “mentiras” e artimanhas inventadas por Hugo para a afastar do seu namorado João Pedro? O namoro entre Maria e João Pedro sobreviverá?

     Lê o livro e descobrirás!

Afonso Marques Ribeiro

   Este livro fala de um rapaz chamado Bruno que tinha nove anos e que vivia em Berlim. O seu pai era soldado e, passado algum tempo, foi nomeado a comandante do campo de judeus de Acho-Vil e assim toda a família teve de se mudar para lá.

   Quando Bruno lá chegou, achava que tudo aquilo era diferente: a casa de Berlim tinha cinco andares e aquele só tinha três, lá não tinha os seus três amigos que considerava serem os seus três melhores amigos para sempre, não tinha ninguém com quem falar e, pior que tudo, o grande mistério que existia, a vista que tinha do seu quarto; todas aquelas pessoas com os pijamas às riscas cinzentas e brancas e com os barretes igualmente às riscas, enfim tudo lhe parecia diferente de Berlim.

   Passado cerca de uma semana, o Bruno, curioso, saiu de casa; andou, andou, andou até que percebeu que a vedação que avistava da janela do seu quarto e que o separava das outras pessoas, nunca mais acabava. Foi então que viu uma pessoa ao longe, percebeu que era uma criança da sua idade. Aproximou-se e, depois de conversar um pouco com ele, apercebeu-se que ambos tinham um pouco em comum. Durante aquele ano, Bruno foi conhecendo melhor o seu novo amigo, Shmuel, pois falava com ele todos os dias à mesma hora, no mesmo sítio e da mesma maneira separados por aquela vedação. Até que a sua mãe se fartou de estar naquela cidade e decidiu ir embora… Muitas situações inesperadas se seguiram ao dia daquela decisão tomada pela mãe do Bruno.

Lê o livro e descobre o final surpreendente desta história … FANTÁSTICA!

Rafaela Amâncio

Este livro é constituído por vários capítulos e como o que eu mais gostei foi “O Bolo da Noiva”, vou contar um pouquinho dessa parte.

Estava uma manhã radiosa. Os pombos mais novos andavam a namoriscar, entusiasmados com o brilho e o clorido das penas das pombas mais bonitas que se passeavam na praça do Pombal do Marquês.

Colombo tinha acordado tarde naquele dia. Na verdade, não dormia bem de noite, por causa de um pesadelo em que se viu sozinho tendo de enfrentar um gato tão grande e medonho que lhe pareceu um tigre. Ao ver que os jovens andavam entretidos atrás das companheiras, o velho pombo-correio resolveu regressar ao lugar onde tinha adormecido na véspera, numa das ruas que iam dar à praça.

A visão dos jovens pombos a namorar trouxe-lhe à lembrança uma outra imagem de que não poderia esquecer-se nunca: a de Columbina, a sua primeira paixão… Fechando os olhos, Colombo deu um longo suspiro, no meio dos ruídos das buzinas dos carros que atravesavam a cidade àquela hora. Como tinha saudades de Columbina , a pomba que encontrara numa das suas viagens mais rômanticas….!

Querem saber mais sobre esta história? Vão à biblioteca da nossa escola e requisitem o livro. Prometo que vão gostar de o ler … e não se esqueçam que ler é aprender!

Filipa Silva

   O Jorge, a Joana e o Joel iam encontrar-se numa aldeia muito desabitada que num só olhar se via tudo: a igreja, as casas baixas com varandas de ferro, uma outra casa maior e uma loja de ferragens.

   Quando o Joel se encontrava no táxi com a tia, ela tinha dado muitas recomendações, mas foi como se nada tivesse dito, até foi preciso que a campainha do táxi apitasse para ela se calar.

   Mais tarde, quando o Joel já estava no comboio, procurava um lugar para se sentar e, tendo-o encontrado, sentou-se. Mas, como estava muito apertadinho, foi para outra carruagem, onde estavam tropas, pois era costume estes viajarem à sexta-feira, e lá se sentou. Estavam a jogar à sueca; quando um puxava de um trunfo, dava-lhe um pontapé e outro, quando ganhava, dava-lhe uma cotovelada. Então, farto desta situação, foi para outra carruagem.

   Nessa carruagem, só estava um senhor velho que logo disse ao Joel que estava à sua espera, mas ele não percebeu bem porquê. Sentou-se, e à beira das suas fantásticas sapatilhas Lince estava uma revista. Ele foi ver os seus passatempos, mas estava tudo feito, só lhe faltava ler o horóscopo. Neste dizia que iria ter um início de semana má, depois vinha uma melhoria mais para o fim da semana e teria um encontro especial. Então o Joel pensou o que poderia ser aquele o encontro especial.

   Quando chegou à aldeia não viu ninguém. Lá, ia passar sete dias e sete noites. Que irá acontecer naquela aldeia?

  Requisita este livro na biblioteca e verás que foram sete dias e sete noites eletrizantes!

Miguel Lopes