Gostei muito de ler o livro “História de uma Gaivota e do Gato que a ensinou a voar”, do escritor Luís Sepúlveda.

Era uma vez uma gaivota chamada Kengah de penas cor de prata. Certo dia, Kengah mergulhou a cabeça para apanhar o quarto arenque e, por esta razão, não ouviu o grasnido de alarme dado pela gaivota de vigia.

Quando Kengah tirou a cabeça da água, viu-se desamparada no meio do oceano. Kengah ia a estender as asas, quando veio uma onda gigante que a cobriu com petróleo. Desesperada e pensando que o sol derretia o petróleo, voou o mais alto que pôde, mas não resultou. Fez uma segunda tentativa que também não teve sucesso. Tentou pela terceira vez e conseguiu voar até a uma varanda, onde vivia um gato grande, preto e gordo, chamado Zorbas.

Zorbas estava na varanda, a apanhar sol, quando ela caiu. Entretanto Zorbas chegou junto de Kengah e esta disse-lhe que havia sido apanhada por uma maré negra e que ia morrer, mas com as suas últimas forças iria pôr um ovo. Em sofrimento fez-lhe, nessa altura, prometer três promessas:

– Não comer o ovo;

– Tomar conta da gaivotinha;

–  Ensiná-la a voar.

Zorbas aceitou e foi ter com os seus amigos: Collonelo, um gato já com alguma idade e com um enorme talento a dar conselhos; Secretário, o seu ajudante; Sabetudo, um gato muito inteligente e sempre acompanhado pela sua enciclopédia e Barlavento, um gato do mar, para saberem o que fariam com o ovo. Quando chegaram a casa de Zorbas, a gaivota já estava morta e tinha ao seu lado um ovo.

Numa noite escura, os quatro amigos cavaram um buraco, ao pé dum velho castanheiro, e enterraram a gaivota. No final miaram uma longa e triste canção e, seguidamente, os outros gatos da vizinhança cantaram também.

Longo tempo passou e Zorbas ficara deitado junto do ovo. Certo dia, o ovo começou a rolar, até que se partiu e nasceu uma bela gaivotinha. Puseram-lhe o nome de Ditosa.

Zorbas e os seus três amigos prestaram todos os cuidados e deram todo o carinho possível à gaivotinha, pois sua mãe não pôde fazer esse trabalho.

O tempo foi passando e muitos perigos aconteceram. Certo dia, os gatos do porto concluíram que Ditosa não poderia ficar mais tempo na casa de Zorbas, por isso decidiram que a gaivotinha iria viver para o bazar do Harry, até que ela se pudesse defender sozinha.

Será que Zorbas irá conseguir cumprir a terceira promessa, isto é, ensinar Ditosa a voar?

Esta “fábula” transmite-nos muitos valores, tais como a amizade, o companheirismo, o amor, assim como também foca um grave problema do nosso planeta: os perigos da poluição do mar, pondo em risco muitas vidas!

   Leiam este livro. Acreditem que é FANTÁSTICO!

Filipa Jorge Ferreira