Lizzie é uma menina pequenina, muito inteligente, muito preocupada com o seu pai Jack. Lizzie vive só com Jack, um homem sonhador com o desejo de se tornar um verdadeiro pássaro. O Sr. Mint era o diretor do colégio que Lizzie frequentava. Ele adorava-a e dizia que ela era muito aplicada e que, se continuasse assim, teria um futuro promissor.

   Numa manhã de primavera, como todas as outras, no número 12 de Lark Lane, os pássaros chilreavam e piavam, o trânsito atroava e estrondeava. O despertador de Lizzie tinia e retinia, até que ela se levantou e se preparou para mais um dia de escola. Desceu para a cozinha e preparou um pequeno-almoço reforçado. Chamou o seu pai para vir tomar o pequeno-almoço, mas ele não respondeu, chamou outra vez e ninguém respondeu, então, chamou uma última vez e ouviu-se um resmungo e um gemido, e depois nada. Passado alguns segundos estava Jack na cozinha. Vinha com um ar desleixado e vestia um roupão e chinelos rotos, o cabelo todo desgrenhado e a barba por fazer. Sentou-se sem muito apetite e deu uma trinca na torrada e depois bebeu um golo de chá que Lizzie tinha preparado. Lizzie virou-se para o paizinho e perguntou que planos tinha ele preparado para aquele novo dia. Ele endireitou-se na cadeira e fitou-a.

   – Hoje vou voar, vou inscrever-me  no Grande Concurso do Homem-Pássaro.

   Lizzie ficou espantada e com algum receio de deixar o paizinho sozinho em casa. Preparou-se para sair de casa, mas antes que se esquecesse avisou o paizinho que a tia Doreen era capaz de passar por lá naquele dia. Lizzie despediu-se do pai e partiu para a escola. Os minutos foram passando, até que…

   Se quiserem saber como acaba esta história terão de lê-la. Eu gostei muito e acho que vocês também vão adorar.

Ana Beatriz