Fevereiro 2016


herdeiros_da_lua   O livro que li tem como título Os Herdeiros da Lua de Joana, uma peça de teatro da escritora Maria Teresa Maia Gonzalez. Este livro fala dos difíceis momentos vividos pela família da jovem Joana, após a sua morte.

   Joana faleceu e deixara umas cartas que, ao longo da sua vida, escrevera à sua melhor amiga Marta que tinha falecido, devido ao vício das drogas. Joana escrevia-lhe porque sentia-se muito só e os seus pais não lhe davam a atenção que precisava. O seu pai, Dr. Brito, pegou nas cartas que Joana escrevera e leu-as atentamente. Sentiu remorsos, pois percebeu que ela se sentia só e reconheceu que não lhe dera a devida atenção e, então, releu as cartas mil vezes. Quem teve de dar rumo às coisas de Joana foi a sua mãe, mas não sabia o que fazer com o baloiço, em forma de meia lua, que Joana tinha desenhado.

   Certo dia o irmão de Joana, o Jorge, cansou de estar sempre a ver aquela meia lua à porta do quarto da irmã e levou-a para o meio da sala de estar. Quando os seus pais chegaram viram aquilo ali no meio e ficaram a pensar quem podia ter levado o baloiço para lá. Chamaram o Jorge e ele, todo irritado, disse que tinha sido ele porque estava farto de ver aquilo e referiu que, como tinham sido os pais a mandar construir o baloiço, também tinham de se livrar dele, sozinhos. Os pais pensaram, pensaram, mas não sabiam o que fazer com o baloiço e, então, ficou lá no meio da sala.

   Um dia o Dr. Brito ligou ao João Pedro e ao Luís, dois amigos da escola de Joana que ele ficou a conhecer através das cartas que leu, para que fossem até sua casa. Assim aconteceu, Luís e João Pedro, como já eram quase adultos, conversaram até que Dr. Brito chegasse. Quando ele chegou disse que tinha uma coisa, muito importante, para lhes dizer.

O que terá o Dr. Brito de tão importante para contar aos rapazes? Que destino os pais de Joana darão ao baloiço, em forma de meia lua?

Querem saber? Leiam este livro para descobrirem.

Filipa Jorge Ferreira

Anúncios
9724311082

   Esta história fala de um rapaz chamado Daniel. Quando ele faz 11 anos, o avô paterno vai viver para a sua casa durante algum tempo. O Daniel e o avô Teodósio foram passear pela cidade de Lisboa no seu dia de aniversário e, quando o avô viu uma estátua, lembrou-se das estátuas que existiam em Praia Redonda, sua terra natal.

O avô contou-lhe que lá existiam duas estátuas, uma do fundador da terra e outra do Leonardo, um rapaz que viveu no tempo dos reis, D. Pedro e D. Miguel (liberais e absolutistas); o rapaz era conhecido por “o menino dos piratas”.

O avô contou ao Daniel que Leonardo era um menino da sua idade, que um dia, já ao anoitecer, estava a brincar junto ao mar quando reparou que se aproximavam barcos com tropas miguelistas (absolutistas). Quando viu os barcos gritou “Piratas!!” e todos vieram ver o que se passava. E assim, as tropas miguelistas foram embora, pois pensavam que aquelas pessoas eram as tropas liberais que já sabiam que eles estavam a chegar.

Depois deste acontecimento o que será que aconteceu ao Leonardo para ter uma estátua em sua honra?

José Pedro Lourenço