eb5b5-rapaz-do-pijama-as-riscasO livro que li chama-se “ O Rapaz de Pijama às Riscas”, do escritor John Boyne.

Esta bela história fala de um inocente rapaz, de nove anos, chamado Bruno, que vivia em Berlim. Devido ao trabalho do pai, que era militar, teve de mudar de casa e foi viver para Acho-Vil. Bruno não gostou desta ideia, pois iria abandonar os seus três melhores amigos em Berlim.

Quando chegou à nova casa, Bruno ficou desiludido, pois esta era terrível, não tinha um corrimão tão grande para escorregar e só tinha três andares, enquanto a casa em Berlim era bonita e grandiosa, com belos recantos e cinco andares.

Bruno teve que se adaptar à nova vida em Acho-Vil. Certo dia, Bruno não sabia o que fazer, pois não tinha com quem brincar. Resolveu perguntar à sua irmã Gretel, de treze anos, mas sabia que não iria resultar porque ela era um “caso perdido”, era assim que a tratava. Então decidiu explorar a parte de fora da casa. Começou a caminhar ao longo de uma enorme vedação, que separava a sua casa de um campo de concentração. Bruno ia desistir quando reparou que lá, ao fundo, estava um vulto que se transformou num rapaz. Esse rapaz estava sentado no chão com as pernas cruzadas, tinha um pijama e um barrete às riscas e estava descalço.

Bruno sentou-se à sua frente e começou a falar com ele. Descobriu que o rapaz chamava-se Shmuel, tinham nascido no mesmo dia e no mesmo ano que ele e ficaram amigos. Todos os dias, ao longo de um ano, Bruno ia encontrar-se com Shmuel e levava comida nos bolsos do casaco para lhe oferecer. Bruno e Shmuel eram muito parecidos. Shmuel era careca e Bruno tinha cabelo, mas teve de o cortar, pois tinha apanhado piolhos. Ficaram, assim, ainda mais parecidos só que Bruno, fisicamente, era um pouco mais forte.

Certo dia, Shmuel não apareceu na vedação como de costume, nem no segundo dia. Ao terceiro dia, quando Bruno chegou lá Shmuel ainda não tinha chegado e quando ia embora viu-o a aproximar-se. Bruno sentou-se no chão e tirou a comida do bolso do casaco para dar ao amigo, mas ele vinha muito triste e não aceitou. Bruno perguntou-lhe por que vinha tão triste e Shmuel respondeu-lhe que o seu pai tinha desaparecido. Bruno disse-lhe para não se preocupar porque o seu pai iria aparecer. Referiu também que tinha uma coisa muito importante para lhe contar.

O que é que Bruno terá para contar ao amigo Shmuel? Querem saber? Leiam este fantástico livro!

Filipa Jorge Ferreira